Bulavet

Milhares de bulas de medicamentos veterinários

ASPERSIN

BIOGÉNESIS BAGÓ SAÚDE ANIMAL LTDA

Classes
Bovino
Registro
7.250/2000
Responsável Técnico
Marcio Dentello Lustoza - CRMV: CRMV-PR 9200 "VS"
Princípio(s) Ativo(s)

CIPERMETRINA

CLORPIRIFÓS

Fórmula

Cada 100 mL contém:

Cipermetrina ......................................................................20 g

Clorpirifós .........................................................................50 g

Veículo ...................................q.s.p..................................100 mL

Indicações

Controle e tratamento das infestações provocadas por: Bernes (larvas de Dermatobia hominis ), insetos hematófagos, especialmente a mosca-dos-chifres ( Haematobia irritans ), carrapatos ( Rhipicephalus Boophilus microplus ), ácaros da sarna ( Psoroptes spp ), piolhos sugadores ( Linognathus spp ) e piolhos mastigadores ( Damalinia spp ).

Dosagem

Em um recipiente adequado, preparar uma pré-mistura do produto, com 8 a 12 vezes o seu volume em água; agitar bem e em seguida completar o volume segundo a recomendação da dosagem.

Administração

Aspersin deve ser aplicado em banhos de aspersão, através de bombas manuais ou mecânicas, que por sua vez devem possuir uma pressão ideal que possibilite o banho adequado dos animais. Diluir um frasco de 250 mL de Aspersin em 300 litros de água, o que equivale a uma tampa do frasco (20 mL) de Aspersin para cada 25 litros de água. Com um frasco de 34 mL se preparam 40 litros de calda. Portanto 17 mL de Aspersin preparam-se 20 litros de calda. Nos tratamentos inseticidas ou mosquicidas: Deve-se utilizar de 1 a 3 litros da solução por animal, segundo a quantidade de parasitas observados e o tamanho do animal banhado. Nos tratamentos contra a sarna, aplicar 2 banhos com o intervalo de 10 a 12 dias entre ambos, com o objetivo de se cortar o ciclo da enfermidade. Os animais devem ser perfeitamente molhados em toda a superfície corporal, prestando especial atenção nas lesões e dobras da pele. Recomenda-se remover as crostas das lesões, mediante fricção com uma escova apropriada.

Precauções
  • Não banhar fêmeas em estado adiantado de gestação.

  • Evitar o tratamento frente à ameaça de chuva e caso chova dentro das 24 horas após, repetir o tratamento.

  • Não tratar caso haja muito barro ou lama no curral.

  • Não banhar em horas de calor intenso ou de muito frio.

SEGURANÇA AMBIENTAL:

  • O descarte do produto ou de suas embalagens vazias deve ser feito conforme a legislação ambiental vigente.

  • Produto tóxico para abelhas e outros insetos polinizadores e extremamente tóxico para peixes.

NOTA PARA O MÉDICO: Este produto é uma combinação de organofosforado epiretróide. Seu antídoto é o Sulfato de Atropina. Caso necessário, efetuar lavagem gástrica.

CENTROS TOXICOLÓGICOS DE REFERÊNCIA:

Curitiba-PR - CCE - Centro de Controle de Envenenamentos - Fone:0800-41.0148

Porto Alegre-RS - Centro de Informações Toxicológicas do RioGrande do Sul Fone: 0800-780.200

Campinas-SP - CCI - Centro de Controle de Intoxicações daUNICAMP Fone: 0xx19 3289.3128

Goiânia - GO - CCI - Centro de Informações Toxicológicas - Fone:0800-646.4350

Salvador- BA - Centro de Informações Anti-veneno da Bahia- Fone:0800-284.4343

ATENÇÃO - OBEDECER AOS SEGUINTES PERÍODOS DE CARÊNCIA:

BOVINOS: ABATE - O ABATE DOS ANIMAIS TRATADOS SOMENTE DEVE SER REALIZADO 2 DIAS APÓS A ÚLTIMA APLICAÇÃO. LEITE - O LEITE DOS ANIMAIS TRATADOS SOMENTE DEVE SER DESTINADO AO CONSUMO HUMANO 48 HORAS APÓS A ÚLTIMA APLICAÇÃO. NESTE PERÍODO O LEITE DEVE SER DESCARTADO.

"A UTILIZAÇÃO DO PRODUTO EM CONDIÇÕES DIFERENTES DAS INDICADAS NESTA BULA PODE CAUSAR A PRESENÇA DE RESÍDUOS ACIMA DOS LIMITES APROVADOS, TORNANDO O ALIMENTO DE ORIGEM ANIMAL IMPRÓPRIO PARA O CONSUMO."

Apresentação

34 mL e 250 mL

Classe Terapêutica

ECTOPARASITICIDAS (ANTI-PARASITÁRIOS)

SAC
0800 701 0752