Bulavet

Milhares de bulas de medicamentos veterinários

VITALPEN PLUS

INDÚSTRIA FARMACÊUTICA VITALFARMA LTDA

Classes
Bovino, Caprinos, Eqüinos, Ovinos, Suíno
Registro
8.732 em 29/10/2002
Responsável Técnico
Dra. Tatiane de Souza Urias - CRMV: CRF-MG 12.676
Princípio(s) Ativo(s)

ESTREPTOMICINA

PENICILINA

PIROXICAN

Fórmula

Cada 100mL contém:

Benzilpenicilina Procaína................................20.000.000 Ul

Diidroestreptomicina (sulfato )....................................... 8,0 g

Piroxicam ..................................................................... 0,6 g

Veículo ............................................ qsp ................. 100,0 mL

Indicações

Suspensão injetável pronta para uso; antibiótico bactericida de amplo espectro e ação prolongada, indicado no tratamento das seguintes infecções:

Bovinos : - Mastites - _ Streptococcus spp _ , _ Corynebacteriurn pyogenes _ .
- Processos piogênicos: _ Streptococcus pyogenes _ .
- Edema maligno: _ Clostridium septicum _ , _ C. novyi _
- Carbúnculo sintomático: _ Clostridium chauvoei _
- Enterotoxemia, gangrena: _ Clostridium perflingens _
- Hemoglobinúria: _ C. haemolyticum _
- Tétano: _ C. tetani _
Equinos : - Garrotilho: _ Streptococcus equi _ .
- Infecções dos recém-nascidos, onfaloflebites: _ Staphylococcus genitalium _
- Artrite supurativa: _ E.coli _ , _ Actinobacillus spp _ , _ Salmonella spp _ .
- Linfagite ulcerativa: _ C. pseudotuberculosis _ .
- Pneumonia dos potros: _ Corynebacterium equi _
- Listeriose: _ L.monocytogenes _
- Tétano: _ Clostridium tetani _
- Septicemia dos potros: _ Salmonella abortus equi _ .
Ovinos e Caprinos : Artrite infecciosa dos cordeiros: _ Streptococcus genitalium _
- Poliartrite dos cordeiros: _ Corynebacterium pyogenes _ , _ Streptococcus faecaIis _ , _ Sphaerophorus necrophorus _ .
- Endocardite: _ Streptococcus pyogenes _ .
- Linfadenite caseosa dos ovinos: _ Corynebacterium pseudotuberculosis _
- Listeriose: _ L. monocytogenes _
- Carbúnculo hemático: _ B. anthracis _
- Tétano: _ Clostridium tetani _
- Carbúnculo sintomático: _ C. chauvoei _
- Edema maligno: _ C. septicum _ , _ C. perfringens _ , _ C. novyi _
- Actinobacilose: _ A. lignieresii _ .
Suínos : Artrite dos leitões: _ Streptococcus spp _ .
- Poliartrite: _ Corynebacterium pyogenes _ , _ Spherophorus necrophorus _
- Cistite e pielonefrite dos suínos: _ C. suis _
- Listeriose: _ L. monocytogenes _
- Carbúnculo hemático: _ B. anthracis _ .
- Tétano pós-castração: _ Clostridium tetani _
- Edema maligno: _ C. chauvoei _ .

Dosagem
  • Dose terapêutica: Bovinos e Equinos: 10.000 Ul de Penicilina G Procaína, 4 mg de Sulfato de Dihidroestreptomicina e 0,3 mg de Piroxicam / kg de peso corporal.
  • Dose do Produto: 1 mL para cada 20 kg de peso corporal, durante 3 a 5 dias consecutivos.
    Dose terapêutica: Ovinos, Suínos e Caprinos:

  • 40.000 Ul, de Penicilina G Procaína, 16 mg de Sulfato de Diidroestreptomicina e 1,2 mg de Piroxican / kg de peso corporal.
    Dose do produto: 2 mL para cada 10 kg de peso corporal, durante 3 a 5 dias consecutivos.

Intervalo entre as doses: 24 horas (1 vez ao dia)

Recomendamos que o tratamento seja prolongado por um período mínimo de 48 horas após o desaparecimento dos sintomas.

Administração

Via intramuscular profunda

Precauções

AGITE ANTES DE USAR.

Usar seringas e agulhas descartáveis ou esterilizadas.

Calcular corretamente a dose a aplicar de acordo com o peso corporal do animal, obedecer as normas de assepsia para a aplicação de injetáveis.

Período de carência:

Suspender o tratamento 30 dias antes do abate dos animais tratados para o consumo humano.

Não administrar a fêmeas gestantes ou lactantes.

  • Não administrar o produto a animais conhecidamente hipersensíveis ao ácido acetilsalicílico ou a outros antiinflamatórios não esteróides.
  • Nos humanos, o piroxicam administrado até o final da gravidez pode causar distocia; nos animais não há relato.
  • Não administrar a animais com nefropatias graves, já que a Dihidroestreptomicina tem efeito nefrotóxico .
  • Não administrar a fêmeas gestantes ou lactantes.
    Efeitos secundários :
    Não há referência sobre reações adversas no tratamento com Piroxicam em animais domésticos. Nos humanos provoca distúrbio gastrointestinal, como: estomatite, anorexia e constipação. Mas estas reações são insignificantes.

  • Animais hipersensíveis poderão apresentar reações alérgicas ou anafiláticas, de gravidade variável, com sintomas de salivação, tremores, vômitos, respiração dificil e edema cutâneo em algumas áreas do corpo.
    Recomenda-se usar epinefrina se necessário. Em suínos de engorda, durante situações de estresse, podem eventualmente ser observados: febre transitória, vômitos, incoordenação motora, tremores e apatia.

Interações medicamentosas:

  • A Penicilina é potencializada, quanto a sua ação, quando associada aos salicilatos e a fenilbutazona .
  • O Piroxicam como antiinflamatório não esteróide pode provocar a retenção de saliva e potássio, interferindo na ação de diuréticos .
  • Não associar o produto com antibióticos bacteriostáticos: Cloranfenicol e Tetraciclina.
Apresentação

Frascos ampola com 10, 25 e 50 mL.

Classe Terapêutica

ANTIMICROBIANOS GERAIS; ANTIFÚNGICOS E ANTIPROTOZOÁRIOS (COCCIDIOS, FLAGELADOS)

SAC
0800 283 8800